Paramahamsa Hariharananda

    Paramahamsa Hariharananda nasceu como Robindrinath Bhattacharya, em 1908 em Bengali Ocidental, na Índia. Em 1932, ele foi iniciado em Kriya Yoga por Sri Yukteswar. Em 1935, Paramahamsa Yogananda, um dos principais discípulos de Sri Yukteswar e autor do livro Autobiografia de um Iogue, retornou do Ocidente para a Índia. Yoganandaji iniciou o joven Robindranath em Segunda Kriya. Posteriormente, Robindranath entrou no ashram de Sri Yukteswar, em Puri, na Índia, e começou sua vida como um renunciante. Ele aprendeu todos os níveis mais elevados de Kriya Yoga e alcançou um elevado estado espiritual de Samadhi em 1947. Ao longo de sua vida ele conseguiu alcançar esse estado profundo de meditação, onde não há nenhum movimento da respiração e o pulso não é perceptível.

 

   Em 1947, Babaji Maharaj, um personagem espiritual cuja vida é contada no livro Autobiografia de um Iogue, encontrou Robindranatth, abençoou-o e falou sobre o seu futuro papel no ensinamento de Kriya Yoga no Ocidente. Por ordem de Yoganandaji, ele começou a iniciar as pessoas em Kriya Yoga. Em 1959, ele tomou os votos monásticos e tornou-se Swami Hariharananda Giri.

 

    Paramahamsa Hariharananda viajou pela Índia ensinando Kriya Yoga e conheceu pessoalmente muitos dos grandes santos da Índia, incluindo Anandamoyee Ma, Neem Karoli Baba, Swami Sivananda de Rishikesh, e Madre Teresa. Em 1974, ele começou a sua missão no Ocidente, viajando primeiro para a Europa e depois eventualmente para a Rússia, Grã-Bretanha, América do Norte e América do Sul. Sua missão era ajudar as pessoas a adquirirem maior consciência em Deus e ele amorosamente dedicou sua vida a ensinar Kriya Yoga, deixando o seu corpo em 2002.

 

    Kriya Yoga é um conjunto de técnicas baseadas nas leis da fisiologia humana no que diz respeito à consciência. Kriya Yoga utiliza técnicas que promovem alterações fisiológicas específicas, as quais produzem uma mudança na consciência. Certas técnicas de Kriya induzem a ativação de vários reflexos que diminuem a freqüência cardíaca e aumentam o fluxo de sangue para o cérebro. Isto, por sua vez, transforma a química do cérebro de modo a propiciar um estado calmo de concentração.

 

    Outras técnicas de Kriya utilizam a respiração. Há uma relação direta entre a consciência e a respiração: há uma freqüência respiratória diferente para diferentes estados mentais. Durante o sono há uma respiração lenta e calma. Durante estados de raiva a respiração se torna muito rápida. Durante a concentração profunda há uma respiração muito sutil. A relação entre a freqüência respiratória e a consciência é usada de uma maneira muito eficaz na prática da Kriya. Um tipo de respiração utilizada em Kriya é uma respiração suave que ativa diretamente o córtex cerebral de uma forma bem palpável, trazendo um estado superior de consciência.

 

    Outra técnica de Kriya é uma síntese do Hatha Yoga. Nos tempos antigos, um dos principais objetivos do Hatha Yoga era abrir a corrente solar do corpo, Ha, e a corrente lunar, Tha, para criar o estado ideal à meditação. Estas correntes são também referidas no jargão do yoga, como ida e pingala. Com um equilíbrio destas energias, vem o estado conhecido como a abertura do sushumna, apregoado, nas escrituras da Índia, como a condição ideal para a meditação. Essas teorias antigas sobre a energia do corpo e meditação têm uma correlação direta com a fisiologia humana.

 

   Em nosso estado normal, a respiração predomina em uma narina, depois na outra. É um ciclo que reflete a alternância de dominância dos hemisférios do cérebro. Quando o hemisfério direito é ativado, a narina esquerda é aberta e o tônus simpático fica em estado de quiescência. Quando o hemisfério esquerdo domina, a narina direita está totalmente aberta e o tônus simpático no corpo está em estado de excitação. Estes estados alternados de quiescência e excitação são os estados referidos como ativo e passivo, há e tha, solar e lunar, ida e pingala, ying e yang. Quando a respiração flui uniformemente pelas duas narinas, um equilíbrio é alcançado onde nenhum hemisfério predomina, criando um estado especial para meditação. Esta técnica de Kriya, que pode ser praticada em poucos minutos, dá o benefício de uma prática mais longa do Hatha Yoga. Quando praticada com competência, traz este profundo estado fisiológico de equlibrio, criando um fluxo constante de ar nas narinas, equilibrando ambos os hemisférios do cérebro e facilitando um estado fisiológico único que permite um profundo estado de meditação. Na linguagem do Yoga esta é a abertura do sushumna, o caminho de união com Deus.

 

   Há uma série de técnicas que são aprendidas na ocasião da iniciação em Kriya Yoga e todas trazem uma transformação fisiológica e uma conseqüente mudança de consciência.

 

    Kriya Yoga é não sectária e é praticada por buscadores sinceros de todas as diferentes fés. No dia da iniciação a pessoa percebe som interior, luz, e vibração divinos. Estas qualidades divinas revelam o reino divino interior. Esta percepção da presença de Deus é o direito natural de todos. Como Paramahamsa Hariharananda costumava dizer, "A vida não é um sonho vazio; seus desejos nobres podem ser realizados. Uma oportunidade não deve ser negligenciada, pois pode nunca voltar. "

 

Gonesh Baba

Para mais informações, acesse: http://srihariharanandagiri.blogspot.com

 

© 2015 por Kriya Brasil.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now